CMA – Nefrectomia e esplenectomia poderá reprovar no CMA?

Reportado por Tatiana Trigo na frequência CMA

Duvidas CMA Canal Piloto CMA   Nefrectomia e esplenectomia poderá reprovar no CMA?

Seguindo com nossa série sobre dúvidas quanto ao CMA – Certificado Médico Aeronáutico, vamos responder à pergunta de hoje:

Dúvida

bom dia gostaria de saber o seguinte, devido a um acidente de moto perdi o rim esquerdo e baço mas vivo normalmente sem nenhum problema ou patologia por causa da cirurgia ,minha duvida é se por causa dessa cirurgia e a retirada desse dois orgãos posso ser reprovado ?

Nossa resposta

Conforme a RBAC67, o candidato que foi submetido a procedimento de nefrectomia deverá ser considerado não apto, exceto se a mesma esteja bem compensada funcionalmente pelo rim nativo. Conforme a ICA 160-6, poderão ser consideradas critério de incapacidade em exames de saúde na aeronáutica as doenças crônicas do baço, esplenomegalia e história clínica de esplenectomia que não tenha sido traumática.  Portanto, caso esteja com o rim único com as funções comprovadamente boas, compensado, e sem causa de esplenectomia (retirada do baço) traumática, e na avaliação não forem detectados problemas que impeçam a segurança de voo, poderá sim obter o CMA.

Atenciosamente,

Dra. Tatiana Trigo

Médica Aeroespacial

O leitor de hoje enviou sua dúvida através do nosso e-mail. Você pode fazer o mesmo, caso não encontre a resposta nas perguntas já respondidas.

Livre-se das fontes inseguras

Reportado por Eduardo Mateus Nobrega na frequência Artigos

fontes inseguras canal piloto Livre se das fontes inseguras

Primeiramente, esqueça sua concepção de como um acidente ocorre. Isso não vai ajudar em nada a compreender a logística da segurança aérea. As pessoas costumam criar expectativas negativas ante a eventos mal divulgados. Arrisco dizer que cerca de 80% das notícias exibidas em sites online populares são erroneamente detalhadas, cometendo erros grotescos e levando ao público leigo um notícia falsa ou incompleta. Não é raro – para quem conhece bem a aviação – mesmo olhando apenas a imagem de uma notícia divulgada, lermos garfes terríveis, confundindo até monomotores com bimotores num jornal sério.

Então, esqueça o que já ouviu falar por aí de pessoas que alegam conhecer sobre acidentes, ou que dão “conselhos” de sobrevivência antes do você embarcar em um voo. Há guias que sugerem onde é o melhor lugar para se sentar em um avião em função da chance de sobrevida. Nesse momento, eu penso: Que empresa decola um avião esperando que ele caia com você dentro? Tudo, absolutamente tudo que você vir em um avião tem um segundo objetivo. O nome desse objetivo é Segurança.

Antes de questionar se esta ou aquela empresa aérea segue os procedimentos de segurança, saiba que a legislação aérea no Brasil é uma das mais rígidas do mundo, talvez justamente em função do brasileiro ter fama de querer fazer as coisas com aquele “jeitinho”. Tanto o CBA ( Código Brasileiro de Aeronáutica ) quanto as diretrizes e normas da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) são firmes e inflexíveis nos deveres de uma empresa habilitada a qualquer serviço aéreo, tanto na parte estrutural quanto profissional. Então, as chances de você encontrar uma companhia, grande ou mesmo média, que desobedece essas amplas normas são quase nulas.