Nosso novo canal: Canal Piloto Gameplay

Reportado por Alexandre Sales na frequência Canal Piloto Gameplay, Videos

Então senhores, nos fins de semana nos quais não voo na aviação real e quero relaxar, vou aos videogames… voar! E são com as gravações desses voos que iniciaremos o Canal Piloto Gameplay, nosso novo canal com foco no entretenimento que será inicialmente exclusivo ao título no qual mais voo, o War Thunder, justamente pelo fato das batalhas durarem em média 10 min, o que me permite as encaixar em minha agenda nem sempre tão livre.

Ao conforme for voando nos meus fins de semana livres, seguirei atualizando o canal com novas batalhas, e você enquanto isso pode se inscrever e baixá-lo gratuitamente para nos esbarrarmos lá qualquer dia. O arquivo é grande, mas os gráficos são tão grandiosos quanto o tamanho da instalação.

Além dos dois primeiros episódios acima, uma introdução e um gameplay respectivamente, deixo também citado o artigo do Andrews Claudino através do qual conheci o game, e também o seu espetacular trailer de lançamento que seguirá ao final do post.

No mais, se inscreva no novo canal, se registre e o instale se ainda não o conhece, e em breve nos vemos… Lá em cima!

 

O Canard

Reportado por Eduardo Mateus Nobrega na frequência Artigos

canard canal piloto O Canard

Um fato curioso sobre os avanços tecnológicos na aviação é que, normalmente, eles se disseminam no mercado com uma velocidade espantosa, mesmo que não sejam tão eficientes assim. Isso se faz justificável pela prática atual de mercado, onde o produto mais novo, “eficiente” e diferente ganha espaço sobre um de igual performance, mas com uma aparência mais antiga. Na verdade, isso acontece em qualquer área da aviação.

Essa prática de mercado, como vimos antes, é o que atualmente impulsiona o progresso contínuo de melhoramentos dos dispositivos, e de recursos hoje presentes nas aeronaves. A consequência disso? Em alguns casos, isso cria um generalização de determinadas funções desses dispositivos e encarece o produto final, além da maior exigência técnica para nós, pilotos. Um claro exemplo dessa generalização de funções é o anteriormente citado Winglet.

Dúvida – Horas de simulador abatem horas de voo?

Reportado por Rodrigo Satoshi na frequência Duvidas

Pergunte Canal Piloto Duvidas Formacao Aeronautica Canal Piloto Dúvida   Horas de simulador abatem horas de voo?

Seguindo com nossa série sobre dúvidas quanto à formação aeronáutica, vamos responder à pergunta de hoje:

Dúvida

Oscar Lima Alpha!!!

Eu sou Raphael Oliveira,sou estudante,tenho 16 anos e moro no Rio de Janeiro,RJ.O motivo do envio do email é um dúvida que tenho sobre Simuladores AATD. Eu sei que é um instrumento para treinamento IFR,mas,ele ou outro tipo de simulador pode ser usado para adquirir  horas de voo e mais tarde na hora do voo solo ou check voarmos aeronaves de verdade?E se sim,sairia mais barato?

Agradeço desde já pela atenção e bons voos!!

Rafael Oliveira

Nossa resposta

Rafael,

Segundo a RBAC 61 – item 61.81 – Requisitos de experiência para a concessão da licença de piloto privado, são exigidos os seguintes mínimos de horas:

(1) categoria avião:

(i) um total de 40 (quarenta) horas de instrução e voo solo, ou 35 (trinta e cinco) horas de instrução e voo solo, se estas foram efetuadas, em sua totalidade, durante a realização completa, ininterrupta e com aproveitamento de um curso de piloto privado de avião aprovado pela ANAC.

As horas totais devem incluir, pelo menos:

(D) a instrução de voo recebida em um dispositivo de treinamento para simulação de voo, qualificado e aprovado pela ANAC, é aceitável até um máximo de 5 (cinco) horas;

Para fins do PPA, algumas escolas permitem que o aluno conclua o curso com 35 horas de voo, e mais cinco horas de simulador. No entanto, outras escolas exigem que o aluno voe as 40 horas exigidas. A questão de aceitar ou não as horas de voo no treinamento prático de PPA depende de escola para escola.

Em minha opinião, como instrutor de simulador com mais de 700 horas de experiência, um simulador AATD não transmite a mesma sensibilidade que um avião, na atitude de pouso, decolagem, sensibilidade do pedal e outras coisas. Para instrução básica de IFR, o simulador é uma excelente ferramenta, já que o foco é no voo por instrumentos. Já para a instrução do PPA, no meu ponto de vista, é fundamental voar um avião de verdade, e não fazer as horas em simulador.

Atenciosamente,

Rodrigo Satoshi

INVA – Instrutor de Voo de Avião

O leitor de hoje enviou sua dúvida através do nosso e-mail. Você pode fazer o mesmo, caso não encontre a resposta nas perguntas já respondidas.

CMA – Alterações na fala, como trocar o L pelo R, podem reprovar no CMA?

Reportado por Tatiana Trigo na frequência CMA

Duvidas CMA Canal Piloto CMA   Alterações na fala, como trocar o L pelo R, podem reprovar no CMA?

Seguindo com nossa série sobre dúvidas quanto ao CMA – Certificado Médico Aeronáutico, vamos responder à pergunta de hoje:

Dúvida

Olá Canal Piloto

Tenho uma dúvida sobre o CMA.

Trocando a letra L pela R pode reprovar no CMA ?

Abraços…!

Nossa resposta

Conforme os requisitos otorrinolaringológicos da RBAC67, o candidato que possuir disartria, tartamudez, ou quaisquer outros defeitos de articulação da palavra que, a critério do examinador ou da ANAC, sejam suficientemente graves para dificultar a comunicação oral, deverá ser julgado não apto. Portanto, o examinador verificará se esta alteração prejudicará a articulação da palavra, de forma a dificultar a comunicação e entendimento da fala. Caso o mesmo julgue que não prejudique a comunicação, poderá obter o CMA.

Atenciosamente,

Dra. Tatiana Trigo

Médica Aeroespacial

O leitor de hoje enviou sua dúvida através do nosso e-mail. Você pode fazer o mesmo, caso não encontre a resposta nas perguntas já respondidas.