Correio Aéreo Nacional – Como viajar com a FAB?

posted in: Artigos, Tayly Vieira | 1

A história do Correio Aéreo (CAN) se confunde com o desenvolvimento do Poder Aéreo, da integração nacional e da inclusão social das populações amazônicas. A influência do Poder Aéreo na sociedade fez com que o CAN se entrelaçasse cada vez mais na área de serviço social, entre as populações que vivem mais afastadas, além de entender o processo de escolhas do Comando da Aeronáutica (COMAER) na tomada de decisão, que além de ser estratégica, pode salvar vidas.

Neste ano o Correio Aéreo Nacional (CAN) completa 86 anos cruzando os céus do Brasil, transportando malas postais de um canto para outro.


Primeira Missão

O que hoje parece simples, em 1931 era quase impossível. O Correio Aéreo Nacional, surgiu para facilitar a integração às diversas regiões do país, permitindo a ação governamental em comunidades de difícil acesso. Sua primeira missão ocorreu no dia 12 de junho daquele mesmo ano, quando os tenentes do Exército, Casimiro Montenegro Filho, e da Aviação Militar, Nelson Freire Lavenère-Wanderley, fizeram a primeira viagem, partindo do Rio de Janeiro com uma mala postal contendo duas cartinhas, em direção a São Paulo.

A viagem levou mais de duas horas além da previsão devido aos ventos fortes, e sem conseguir localizar a pista de pouso com a pouca visibilidade noturna, aterrissaram na pista do Jóquei Club da Mooca. De lá e por terra, seguiram de táxi até a Estação Central dos Correios, quando finalmente puderam entregar a mala postal.

Só? Que nada! A partir daquelas duas cartinhas, inúmeras linhas e roteiros foram sendo abertos pelo país para a aviação civil e militar, até chegar na Amazônia, em 1935.

Naquela época, os militares estavam convencidos de que o “sedex aéreo”, quando chegava em uma determinada cidade, obrigava o governo local a fazer um campo de aviação. Consequentemente, outras localidades acabavam fazendo o mesmo, visando as mesmas vantagens. À medida que iam se expandindo, as cidades iam se modernizando cada vez mais para receber o CAM. Percebeu a crise de identidade? CAM, CAN. Sim, o correio aéreo nasceu como Correio Aéreo Militar, mas na verdade, originalmente era chamado de Serviço Postal Aéreo Militar, depois Correio Aéreo Militar. Com a criação do Ministério da Aeronáutica, em 1941, passou a ser chamar CAN-Correio Aéreo Nacional.

O CAN nasceu sob a inspiração de ninguém menos que Antoine de Saint-Exupéry e o Correio Aéreo Francês. Como no Pequeno Príncipe, a aviação era uma aventura, um período em que pilotos eram tidos como heróis e não era nem um pouco fácil voar. A tecnologia aeronáutica engatinhava e não voava.

Com o sucesso do correio aéreo – criado por mentes corajosas que não temiam o desconhecido, para conduzir aviões por lugares inacessíveis – 8 anos depois, em 1939, o CAN participou da 2ª Guerra Mundial, e incorporou de vez as regiões mais afastadas do País.

Hoje, o CAN é o principal responsável por prestar serviços onde o progresso ainda não chegou, principalmente depois que passou a operar aviões-anfíbios, em 1958. Isso fez com que aumentasse a capacidade de atendimentos médicos, odontológicos e até água potável. Paralelo a todos estes serviços essenciais, existe a Operação Misericórdia, acionada quando um índio ou militar estiver em risco de vida.


Como viajar com o CAN?

Poucos sabem e menos ainda conseguem, mas sim, é possível viajar com a FAB, pelo Correio Aéreo Nacional. A FAB realiza voos periodicamente, e para se candidatar a pegar uma carona, você deve ir até a base aérea mais próxima da sua casa e preencher uma ficha, registrando oficialmente seu desejo e esperar o contato. As chances de ser chamado dependem muito da disponibilidade do voos, sendo as regiões do Norte e Nordeste os destinos mais procurados. São inúmeras aeronaves disponíveis para tais viagens, podendo ir desde um C-99, para transporte VIP, C-98 Caravan e até um Bandeirante cargueiro, com capacidade para cerca de 20 pessoas.


Sem chance

Apesar de não haver limites para o uso das aeronaves, a viagem está apenas condicionada à disponibilidade de vagas para o seu destino. Elas ocorrem durante o aproveitamento de alguma missão previamente planejada, e o embarque de passageiros não representa custo algum.

Teoricamente deveria funcionar simples assim, mas a prática é outra. O tempo para ser chamado é totalmente imprevisível, e sua inscrição é válida por apenas 10 dias. Além do serviço ser pouco divulgado, existe uma lista de prioridades, e não tão raro, as prioridades são atropeladas por superiores, que usam sua influência para incluir pessoas que teriam poucas chances de embarque, caso a lista fosse de fato seguida. Conseguir viajar “padrinho” nas forças armadas deixa de ser uma tarefa difícil, para virar uma missão quase impossível.


Como  se inscrever no Correio Aéreo Nacional?

É recomendável que se candidate à vaga próximo à viagem que pretende fazer. A validade do requerimento é de 10 dias e, para isso, basta comparecer à unidade do CAN mais próxima.

Existe uma lista de prioridades, a seguir:

  1. Saúde / Internação
  2. Militares da FAB a serviço
  3. Saúde (consulta ou tratamento)
  4. Concedida pelo comandante 
  5. Militares da ativa da FAB em férias, núpcias, luto, licença especial ou licença do serviço com a apresentação de boletins
  6. Militares da FAB e seus dependentes 
  7. Dependentes de militares do FAB da ativa e da reserva
  8. Militares da Marinha ou Exército a serviço, mediante solicitação do comandante da Organização Militar
  9. Militares das Forças auxiliares (Polícia Militar e Corpo de Bombeiros) a serviço, mediante autorização do comandante da Organização Militar
  10. Afastamento temporário de militares da Marinha e Exército da ativa e da reserva, e seus dependentes que os acompanhem
  11. Militares das Forças auxiliares e seus dependentes que os acompanhem
  12. Servidores Civis da FAB e seus dependentes que os acompanhem
  13. Concedida aos civis em geral, no caso, você.

Como foi possível perceber, os civis estão ali, na beirinha da inviabilidade da hierarquia – ou seja, é melhor tentar procurar uma passagem aérea barata ou um voo em promoção.


Unidades do Correio Aéreo

Para mais informações, entre em contato com uma das seguintes unidades:

Região Sul:

Canoas/RS – (51) 3462-5166

Florianópolis/SC – (48) 3229-5012

Santa Maria/RS – (55) 3220-3309

Região Sudeste:

Belo Horizonte/MG – (31) 4009-5013

Pirassununga/SP – (19) 3565-7000

Rio de Janeiro/RJ – (21) 2138-6619 e 2138-6620

São Paulo/SP – (11) 6465-2040

Região Centro-Oeste:

Brasília/DF – (61) 3364-8105

Campo Grande/MS – (67) 3368-3126

Região Norte:

Belém/PA – (91) 3211-8645

Boa Vista/RR – (95) 3621-1036

Manaus/AM – (92) 3623-1710

Porto Velho/RO – (69) 3211-9722

Região Nordeste:

Fortaleza/CE – (85) 3216-3033 / 3216-3316

Natal/RN – (84) 4008-7135 / 4008-7136

Recife/PE – (81) 2129-7057 / 2129-7652

Salvador/BA – (71) 3377-8225


Tayly Vieira

Tayly Vieira

Entusiasta de Aviação Militar e estudante de Engenharia Ambiental pela UTFPR. Costuma escrever seus artigos sob a sombra da Árvore de Gondor.
Tayly Vieira
  • Márcio Lira

    Mike Bravo!