Guia: Novas REAs da Terminal São Paulo

posted in: Artigos, Guias | 8

Com a entrada em vigor da AIC 23/13 em 12 de Dezembro de 2013, todo o voo na Terminal São Paulo através das Rotas Especiais de Aeronaves sofreu alteração, seja pelos procedimentos, rotas ou novas referências. A seguir se encontra uma síntese dinâmica produzia por Ranzini e Satoshi, que inicialmente foi produzida para uma apresentação em slides sobre o assunto, e logo após foi cedida para publicação no Canal Piloto por Rodrigo Satoshi. O material a seguir foi baseado na apresentação citada e conta apenas com pequenas adaptações para se adequar aos padrões de publicação. Se você voa ou pretende voar pelos Corredores da TMA-SP, não deixe de ler, a seguir estão não apenas as informações oficiais mas também diversos conselhos e dicas que foram adquiridos pela experiência de quem voa nessa área diariamente.

Finalidade

Disciplinar o tráfego de aeronaves voando VFR sob a TMA-São Paulo, na CTR-São Paulo 1, CTR-São Paulo 2 e CTR-São Paulo 3, CTR-São Paulo 4, CTR-São Paulo 5 e CTR-São Paulo 6, alocando volumes de espaços aéreos com limitações horizontais e verticais, mediante a utilização de Rotas Especiais de Aviões em voo visual (REA) e Rotas Especiais para Helicópteros (REH), de tal forma a:

  • Evitar interferência com o tráfego IFR dos aeródromos de Congonhas, Guarulhos, Campinas, e São José dos Campos;
  • Possibilitar a circulação de helicópteros nas CTR-São Paulo 1, CTR-São Paulo 2, CTR São Paulo 3, CTR-São Paulo 4, CTR-São Paulo 5 e CTR-São Paulo 6, sem causar interferência nas demais operações aéreas;
  • Proporcionar trajetórias de voo com o máximo de áreas livres no solo, onde o helicóptero possa efetuar um pouso de emergência, com o mínimo risco possível para as pessoas e propriedades;
  • Considerar as características desses voos na prestação do ATC; e
  • Minimizar os efeitos ocasionados pelo ruído dessas aeronaves.

Âmbito

As disposições contidas nesta AIC aplicam-se aos órgãos do SISCEAB com jurisdição sobre os espaços aéreos envolvidos e ao tráfego aéreo VFR de:

  • Aviões em circulação por VFR nas TMA-São Paulo 2, TMA-São Paulo 3, CTR-São Paulo 2, CTR-São Paulo 3, CTR-São Paulo 4, CTR-São Paulo 5, CTR-São Paulo 6 e nas projeções verticais das TMA-São Paulo 1, 2 e 3; e
  • Helicópteros em circulação VFR nas CTR-São Paulo 1, CTR-São Paulo 2, CTR-São Paulo 3,CTR-São Paulo 4, CTR-São Paulo 5, CTR-São Paulo 6 e nas projeções das TMA-São Paulo 1, 2 e 3.

Classificação dos espaços 

A tabela a seguir apresenta as classificação dos espaços aéreos segundo a ICA 100-12, em destaque estão aqueles presentes nas REAs em vigor.

(clique na imagem para ampliar)

Espaços aéreos das TMAs, CTRs, ATZs, REAs

A seguir estão as áreas presentes na Terminal juntamente com suas respectivas limitações verticais, classes e observações.

(clique na imagem para ampliar)

Baseado nas informações já citadas, a seguir está uma ilustração que mostra a relação entre os limites, classes e aeroportos que se relacionam com estes.

(clique na imagem para ampliar) 

Em uma visão superior da popularmente conhecida como “Carta dos Corredores”, confira a esquematização e comparação das informações pertinentes.

 (clique na imagem para ampliar)

Procedimentos gerais

Regras de voo em corredores visuais de aeronaves

Aviões em evolução no espaço aéreo correspondente à projeção vertical da TMA-São Paulo 1, em voo de acordo com as regras de voo visual (VFR), preferencialmente deverão utilizar as REA estabelecidas na AIC, podendo acessá-las ou abandoná-las em qualquer ponto da rota indicado no Plano de Voo.

Entretanto, em caso de pretenderem operar em aeródromos que possuem órgãos ATS ou FCA (SBMT, SBGR, SBKP, SBJD, SBBP, SBSJ e SDAM), deverão, compulsoriamente, utilizar as REA para acesso a esses aeródromos, na seguinte ordem:

  • Quando destinados a operar no Aeródromo de Campo de Marte ou Guarulhos, deverão utilizar as REA JULIETT, ROMEO ou SIERRA e estabelecer contato com Controle São Paulo em 129,50 MHz, nos limites da TMA-São Paulo 2.
  • Quando destinados a operar no Aeródromo de Campinas, deverão utilizar a REA OSCAR, UNIFORM e VICTOR e estabelecer comunicações rádio com TWR Campinas sobre a Posição INDAIATUBA.
  • Quando destinados a operar no Aeródromo de Amarais, deverão acessar o aeródromo através dos portões 4 (Morungaba), 5 (Jaguariúna) ou 6 (Cosmópolis) e estabelecer comunicações com a Frequência de Coordenação FCA em 125,775 MHz, a partir dessas posições.
  • Quando destinados a operar no Aeródromo de Jundiaí, deverão acessar a CTR-SP5 pelos Portões 2 (Morato), 3 (Través Jarinu) ou REA PAPA e estabelecer contato com a TWRJD em 118,75 MHz na entrada da CTR-SP5. NOTA: Apesar da REA PAPA, entre as altitudes de 3600FT a 4000FT, estar inserida na TMA-SP3, as aeronaves estarão dispensadas de efetuarem chamada na frequência do APP-SP.
  • Quando destinados a operar no Aeródromo de Bragança Paulista, deverão utilizar a REA ECHO com o acesso via Posição CRUZEIRO e estabelecer comunicações rádio com a Rádio Bragança em 125,70 MHz, a partir dessa posição.
  • Quando destinados a operar no Aeródromo de São José dos Campos, deverão utilizar a REA FOXTROT com o acesso via portão 12 e estabelecer comunicações rádio com o Controle São Paulo em 129,05 MHz, na Posição GUARAREMA.
  • Quando destinados a ingressar no espaço aéreo referente à Terminal Academia através dos Portões 7, 8 e Posição PEDRAS na REA OSCAR, estabelecer comunicações rádio com o Controle Academia.

É compulsório o uso do transponder modo A/C em funcionamento para a utilização das REA (vide CIRTRAF 100-23 e AIP-BRASIL, Volume I, página ENR 2.1.1-2S, capítulo 5, item 5.1.3).

  • NOTA: As aeronaves em voo no espaço aéreo sob a projeção vertical da TMA-São Paulo 1 deverão manter o transponder acionado em A2000 até adentrarem os limites laterais das CTR-SP3, CTR-SP5, CTR-SP6 e TMA-São Paulo 2.

A aeronave procedente de aeródromo desprovido de Órgão ATS, ao estabeecer o primeiro contato rádio com o Controle São Paulo, deve informar a procedência, o destino e as REA/REH a serem utilizadas.

O piloto em comando da aeronave, ao decolar de aeródromo controlado, deve especificar no item 15/ROTAS do Plano de Voo ou da Notificação de Voo se utilizará REA/REH e no item 18/RMK, especificá-las nominalmente. Exemplo: 15/ REA…………….18/DELTA, JULIETT.

A aeronave em voo, dentro das REA/REH, deverá manter seu altímetro ajustado em QNH de acordo com os valores aferidos no aeródromo mais próximo, que será fornecido por solicitação ao Controle São Paulo, respectivamente à sua área de jurisdição ou copiado do ATIS correspondente.

Durante os períodos em que as condições meteorológicas dos Aeródromos do Campo Marte e Jundiaí e São José dos Campos permanecerem nos limites previstos para o voo VFR ESPECIAL, o APP-SP, quando possível, autorizará os voos VFR ESPECIAL, considerando, porém, que o limite da autorização coincide com o da CTR, sendo que a partir desse ponto a aeronave deverá alcançar condições de Voo VFR ou regressar e pousar nesses aeródromos.

As REA terão, em toda sua extensão, 3 NM de largura (1,5 NM para cada lado do eixo nominal), inclusive as REAs ALFA, INDIA, JULIETT, ROMEO, SIERRA e TANGO, e como limites verticais as altitudes estabelecidas em carta para cada rota.

As REA ALFA, DELTA, ECHO, FOXTROT, INDIA, JULIETT, ROMEO e SIERRA, nos trechos projetados dentro do espaço aéreo correspondente à TMA-São Paulo 2, estão classificadas como espaço aéreo Classe “C”. Entretanto, as porções destas e de todas as demais REA projetadas no espaço aéreo correspondente à projeção vertical da TMA-São Paulo 1 estão classificadas como Classe “G”.

As referências visuais citadas nesta AIC devem ser deixadas à esquerda do eixo nominal da rota, com exceção ao voo nas REA ALFA, INDIA, ROMEO, SIERRA e TANGO, as quais deverão ser sobrevoadas.

  • NOTA 1: As aeronaves em voo nas REA/REH obrigatoriamente deverão manter seus faróis de pouso ou táxi acionados nos períodos diurnos e noturnos.
  • NOTA 2: Atenção especial deverá ser dedicada quando da utilização das REA DELTA, ECHO e JULIETT na convergência para a Posição PEDÁGIO

O espaço aéreo contido na projeção vertical da TMA-São Paulo 1 configura uma Região de FIR, podendo ser utilizado, inclusive em suas REA, também por Helicópteros.

A coordenação entre aeronaves no espaço aéreo da projeção da TMA-São Paulo 1 deverá ser efetuada na frequência disponibilizada, cujo uso estará definido por setores Norte e Sul, separados por uma linha de posição que se estende sobre a margem lateral sul da REA DELTA entre a Cidade de Sorocaba até a posição SÃO ROQUE, da margem lateral sul da REA ALFA entre a posição SÃO ROQUE até a posição ITAPEVI, da posição ITAPEVI até a posição PERUS, da margem lateral leste da REA TANGO, da margem lateral sudeste da REA ECHO entre a Posição MORATO até o Través da Cidade de Bragança Paulista.

Os voos por VFR realizados no setor localizado ao norte da linha divisória supradefinida deverão efetuar coordenação em 135,675 Mhz.

Os voos por VFR realizados no setor localizado ao sul da linha divisória supradefinida deverão efetuar coordenação em 126,65 MHz.

Exemplo de fraseologia para coordenação ar/ar: (Matrícula da Aeronave), (Posição) (Sentido de Deslocamento ou Destino), (Altitude) (assinatura).

Exemplos:

“Coordenação PT-ABC, vertical PALMEIRAS, 4500 pés, proa REPRESA RIBEIRÃO, ALFA BRAVO CHARLIE”.
“Coordenação PR-DEF, Posição IGARATÁ, 5000 pés, proa CRUZEIRO – DELTA ECHO FOXTROT”.

As aeronaves em voo VFR nas REA/REH, coordenando em 126,65 MHz ou 135,675 MHz, ao se aproximarem de aeródromos que disponham de órgão ATS ou FCA coordenarão com o tráfego desses aeródromos através do órgão ATS ou na frequência da FCA referida.

  • NOTA: No caso de não existir órgão ATS ou FCA, a coordenação deverá ser feita utilizando, exclusivamente, a frequência livre 123,45 MHz.

As mudanças de altitude, nos diversos trechos das REA, devem, preferencialmente, ser efetuadas a partir dos fixos de posições definidos no Anexo a esta AIC, sendo realizadas sob inteira responsabilidade do piloto em comando e estritamente em condições de voo visual.

As altitudes máximas previstas nas REA deverão, preferencialmente, ser mantidas durante operíodo de realização da fase de voo em rota, observadas as condições previstas na ICA 100-12, que dispõe sobre a realização do Voo VFR.

As aeronaves (aviões e helicópteros) em voo na área correspondente à projeção vertical da TMA-São Paulo 1 deverão manter coordenação de seus voos através da frequência de coordenação relativa ao setor correspondente.

  • NOTA: Eventualmente poderá ser estabelecido contato com o APP-SP na frequência 129,50 MHZ, para atendimento de emergências técnicas, ações de busca e salvamento ou motivos de absoluta força maior.

 

Corredor Alfa

Limites:

  • Posição ANHANGUERA (23º29’59”S/046º45’19”W).
  • Posição SÃO ROQUE (23º31’43”S/047º08’11”W).

Referências visuais:

  • Centro Logístico Anhanguera – CLA 015 (Posição ANHANGUERA).
  • Lagoa de Carapicuíba.
  • Cidade de Itapevi (Posição ITAPEVI – 23º32’57”S/046º56’14”W).
  • Cidade de São Roque.

Altitudes:

  • Entre ANHANGUERA e ITAPEVI, compulsório 3700 FT.
  • Entre ITAPEVI e SÃO ROQUE, máximo 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • ANHANGUERA à ITAPEVI = 274°.
  • ITAPEVI à SÃO ROQUE = 297º.

Comunicações:

  • Serviço ATS com o Controle São Paulo na frequência 129,50 MHz entre ANHANGUERA e ITAPEVI.
  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHz no trecho ITAPEVI/SÃO ROQUE.

Procedimentos específicos:

  • Rota utilizada apenas para saídas do Aeródromo Campo de Marte;
  • Sentido único da Posição ANHANGUERA para a Posição SÃO ROQUE; e
  • Observar o cruzamento com as Rotas Especiais de Helicóptero REH RODOANEL e REH ANHANGUERA SUL com altitude máxima de 3500 FT. 

 

Corredor Bravo

Limites:

  • Posição SÃO ROQUE (23º31’43”S/047º08’11”W).
  • Posição ITANHAÉM (24º11’42”S/046º47’31”W). 

Referências visuais:

  • Cidade de São Roque (Posição SÃO ROQUE). Cidade de Vargem Grande Paulista.
  • Cidade de Embuguaçu (Posição EMBUGUAÇU – 23º49’53”S/046º48’57”W). Serra do Mar e Cidade de Itanhaém. 

Altitudes:

  • Altitude máxima 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • SÃO ROQUE / EMBUGUAÇU = 156º / 336º.
  • EMBUGUAÇU / ITANHAÉM = 197º / 017º.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 126,65 MHz entre SÃO ROQUE / ITANHAÉM. 

Procedimentos específicos:

  • N/A

 

Corredor Charlie

Limites:

  • Posição ITU (23º15’54”S/047º17’58”W).
  • Posição PIRAPORA (23°23’51”S/047°00’14”W). 

Referências visuais:

  • Cidade de Itu (Posição ITU).
  • Estrada dos Romeiros – SP-312.
  • Cidade de Cabreúva.
  • Cidade de Pirapora do Bom Jesus (Posição PIRAPORA).

Altitudes:

  • 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • ITU / PIRAPORA = 137º / 317º. 

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHz entre a Posição ITU e Posição PIRAPORA. 

Procedimentos específicos:

  • Para ingresso na ROTA SIERRA a partir da Posição PIRAPORA, contato com o controle São Paulo na frequência 129,50 MHz. 

 

Corredor Delta

Limites:

  • Setor Leste da Cidade de Sorocaba (Limite da TMA-São Paulo 1).
  • Posição PEDÁGIO  (23º19’22”S/046º49’22”W). 

Referências visuais:

  • Setor leste da Cidade de Sorocaba, Cidade de Mairinque.
  • Cidade de São Roque (Posição SÃO ROQUE).
  • Cidade de Pirapora do Bom Jesus (Posição PIRAPORA).
  • Rodovia Anhanguera.
  • Pedágio da Rodovia dos Bandeirantes (Posição PEDÁGIO).

Altitudes:

  • 5000 FT. 

Rumos magnéticos:

  • Leste da cidade de Sorocaba  / SÃO ROQUE = 117º / 297º.
  • SÃO ROQUE / PIRAPORA = 064º / 244º.
  • PIRAPORA / PEDÁGIO = 087º / 267º.

Comunicações:

  • Contato com Controle São Paulo na frequência 129,50 MHz entre as Posições PIRAPORA e PEDÁGIO.
  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHz entre a Cidade de Sorocaba e Posição PIRAPORA. 

Procedimentos específicos:

  • N/A

 

Corredor Echo

Limites:

  • Posição PEDÁGIO (23º19’22”S/046º49’22”W).
  • Setor Leste da Cidade de Bragança Paulista (22°57’27”S/046°28’51”W). 

Referências visuais:

  • Pedágio da Rodovia dos Bandeirantes (Posição PEDÁGIO).
  • Cidade de Francisco Morato (Posição MORATO).
  • Cidade de Atibaia.
  • Cuzamento da Rodovia Dom Pedro I com a Rodovia Fernão Dias (Posição CRUZEIRO – 23º06’00”S/046º34’10”W).
  • Setor Leste da Cidade de Bragança Paulista. 

Altitudes:

  • 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • PEDÁGIO / CRUZEIRO = 067º / 247º
  • CRUZEIRO / TRAVÉS da Cidade de Bragança Paulista = 051º / 231º.

Comunicações:

  • Controle São Paulo na frequência 129,50 MHz entre PEDÁGIO e MORATO
  • Frequência 135,675MHz entre MORATO e  CRUZEIRO
  • Após CRUZEIRO, contato com Rádio Bragança na frequência 125,70 MHz.

Procedimentos específicos:

  • Observar as Áreas Restritas SBR-458, SBR-459 e SBR-460 com os limites verticais  GND até 5000 FT.
  • Observar possibilidade de voos acrobáticos  no setor W do aeródromo entre 4000/5500 FT.
  • Contato com a Rádio Bragança em 125,7 MHz entre a Posição CRUZEIRO e o limite da TMA-São Paulo 1. 

 

Corredor Foxtrot

Limites:

  • Posição EMBUGUAÇU (23º49’53”S/046º48’57”W).
  • Posição GUARAREMA  (23º24’51”S/046º02’11”W).

Referências visuais:

  • Embuguaçu.
  • Trevo da Rod. dos Imigrantes com o acesso à Rod. Anchieta (TREVO – 23º53’36”S/046º33’50”W).
  • Represa Billings (setor Sudeste).
  • Serra do Mar.
  • Ribeirão Pires.
  • Distrito de Palmeiras (PALMEIRAS).
  • Represa de Taiaçupeba (REPRESA – 23°35’43”S/046°16’03”W).
  • Mogi das Cruzes.
  • Guararema (GUARAREMA – 23°24’51”S/046°02’11”W). 

Altitudes:

  • 4500 FT entre a Posição EMBUGUAÇU e a Posição REPRESA.
  • 5000 FT entre a Posição REPRESA e a Posição GUARAREMA.

Rumos magnéticos:

  • EMBUGUAÇU / TREVO = 126º / 306º.
  • TREVO / REPRESA = 063º / 243º.
  • REPRESA / GUARAREMA = 070° / 250°.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 126,65 MHz entre as Posições EMBUGUAÇU e GUARAREMA.
  • Para ingresso na CTR-SP6 através do portão 12 , manter contato com APP-SP, frequencia 129,05 MHz na posição GUARAREMA.

Procedimentos específicos:

  • Para ingresso na ROTA ROMEO na Posição REPRESA, entrar em contato com o Controle São Paulo na frequência 129,50 MHz.

 

Corredor Golf

Limites:

  • Posição SALESÓPOLIS (23º31’45”S/045º50’53”W).
  • Posição CRUZEIRO (23º06’00”S/046º34’10”W). 

Referências visuais:

  • Salesópolis (SALESÓPOLIS – 23°31’45”S/045°50’53”W).
  • Guararema (Posição GUARAREMA – 23°24’51”S/046°02’11”W).
  • Igaratá (IGARATÁ – 23°12’16”S/046°09’23”W).
  • Represa de Atibainha.
  • Bom Jesus dos Perdões.
  • Atibaia e cruzamento da Rod. Dom Pedro I e Rod. Fernão Dias (CRUZEIRO). 

Altitudes:

  • Entre a Posição CRUZEIRO e IGARATÁ, 5000 FT.
  • Entre a Posição IGARATÁ e GUARAREMA, 4500 FT.
  • Entre a Posição GUARAREMA e SALESÓPOLIS, 4500 FT.

Rumos magnéticos:

  • CRUZEIRO / IGARATÁ =  126° / 306°.
  • IGARATÁ  / GUARAREMA = 173º / 353°.
  • GUARAREMA / SALESÓPOLIS = 144º / 324°.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 126,65 MHz entre as Posições CRUZEIRO e SALESÓPOLIS.

Procedimentos específicos:

  • Para ingresso na CTR-SP6 através do Portão 12, manter contato com o APP-SP, frequência 129,05 MHz na Posição GUARAREMA.
  • Observar a Área Restrita SBR-459 com os limites verticais GND até 5500 FT.

 

Corredor Hotel

Limites:

  • Posição EMBUGUAÇU (23º49’53”S/046º48’57”W).
  • Posição CACHOEIRA  (24º02’15”S/047º16’46”W – Represa Cachoeira da Fumaça Limite da TMA-São Paulo 1).

Referências visuais:

  • Cidade de Embuguaçu.
  • Rodovia Regis Bittencourt.
  • Cidade de Juquitiba.
  • Represa Cachoeira da Fumaça.

Altitudes:

  • 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • EMBUGUAÇU  / CACHOEIRA 265º / 085°.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 126,65 MHz entre as Posições CACHOEIRA e EMBUGUAÇU. 

Procedimentos específicos:

  • N/A

 

Corredor India

Limites:

  • Posição CEU FORMOSA (23º34’47”S/046º31’25”W).
  • Posição REPRESA RIBEIRÃO (23º39’13”S/045º49’27”W).

Referências visuais:

  • CEU FORMOSA.
  • Linha de transmissão.
  • Avenida Aricanduva.
  • Distrito de Palmeiras (Posição PALMEIRAS – 23°38’26”S/046°20’05”W).
  • Reservatório Jundiaí.
  • Represa Ribeirão.
  • Observar SBR-422.

Altitudes:

  • Entre CEU FORMOSA e PALMEIRAS, mín 3600FT e máx 5000 FT.
  • Entre PALMEIRAS e REPRESA RIBEIRÃO, máx 5500 FT. 

Rumos magnéticos:

  • CEU FORMOSA / PALMEIRAS = 130º.
  • PALMEIRAS / REPRESA RIBEIRÃO = 112º. 

Comunicações:

  • Contato com Controle São Paulo na frequência 129,50MHz entre as posições CEU FORMOSA e PALMEIRAS. 

Procedimentos específicos:

  • Rota de sentido único.
  • Observar o cruzamento com a Rota Especial de Helicópteros REH ECOLÓGICO com altitude máxima de 3000 FT.
  • Manter contato com o APP-SP na frequência 129,50MHz entre Posição CEU FORMOSA e a Posição PALMEIRAS.
  • Decolando da pista 30, observar velocidade compatível para não ultrapassar linha limite da CTR-São Paulo 4 até interceptar o eixo da REA INDIA.
  • Para saída do Circuito do Campo de MARTE deverá ser utilizado o Portão DUTRA
  • Observar SBD-422.

 

Corredor Juliett

Limites:

  • Posição PEDÁGIO (23°19’22”S/046°49’22”W).
  • Posição  TRAVÉS da ABRIL (23°30’06”S/046°41’56”W). 

Referências visuais:

  • Pedágio Cajamar sentido Interior na Rodovia dos Bandeirantes (Posição PEDÁGIO)
  • Rodovia dos Bandeirantes
  • Distrito de Perus (Posição PERUS – 23°25’14”S/046°45’37”W)
  • Prédio da Editora Abril junto à Marginal Tietê.

Altitudes:

  • 4500 FT entre PEDÁGIO e PERUS.
  • 4300 FT entre PERUS e TRAVÉS da ABRIL.
  • 3800 FT da Posição TRAVÉS da ABRIL / PERUS.
  • Altitude mínima: 3600 FT.

Rumos magnéticos:

  1. PEDÁGIO / PERUS = 170º.
  2. PERUS  / TRAVÉS  da ABRIL = 166º.
  3. TRAVÉS da ABRIL  / PERUS = 346°.
  4. Observar possibilidade de cruzamento de tráfego contrário próximo à Posição PERUS.

Comunicações:

  • Contato com APP SP na frequência 129,50MHz a partir da Posição PEDÁGIO
  • Em função da quantidade de tráfego na mesma rota, o ATC poderá determinar esperas, preferencialmente em curvas pela esquerda, entre PEDÁGIO e PERUS. 

Procedimentos específicos:

  • Sentido único entre a Posição PEDÁGIO e Posição PERUS;
  • Sentido Duplo no trecho entre as posições PERUS e TRAVÉS DA ABRIL;
  • Ingresso na Rota mediante autorização do APP-SP através de contato na frequência 129,50 MHz, na Posição PEDÁGIO
  • Portão 1 utilizado apenas para saídas do Aeródromo de Jundiaí.
  • Para ingresso no Circuito de Tráfego do Campo de Marte, observar e ajustar-se à VAC de SBMT, tendo atenção para a REH-MARTE, cuja altitude máxima é 3100 FT nos limites da  CTR-SP4. 

 

Corredor Kilo

Limites:

  • Posição PRAIA GRANDE (Cidade de Praia Grande – 24º00’46”S/046º26’10”W).
  • Posição PERUÍBE (Cidade de Peruíbe – 24º16’05”S/046º56’08”W). 

Referências visuais:

  • Cidade de Praia Grande.
  • Cidade de Mongaguá.
  • Cidade de Itanhaém.
  • Cidade de Peruíbe.
  • Rodovia Pedro Taques. 

Altitudes:

  • 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • PRAIA GRANDE / PERUÍBE = 262º / 082°.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 126,65 MHz entre as Posições PRAIA GRANDE e PERUÍBE. 

Procedimentos específicos:

  • N/A

 

Corredor Lima

Limites:

  • Posição MORATO (23º15’25”S/046º44’52”W).
  • Posição MORUNGABA (22º52’51”S/046º 47’33”W). 

Referências visuais:

  • Cidade de Francisco Morato.
  • Través W da Cidade de Jarinu.
  • Cidade de Morungaba.

Altitudes:

  • 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • MORATO / MORUNGABA = 014º / 194º.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHz entre as Posições MORATO e MORUNGABA. 

Procedimentos específicos:

  • Para ingresso na CTR-SP5 através dos Portões 2 ou 3, entrar em contato com a TWR-JD na frequência 118,75 MHz. 

 

Corredor Mike

Limites:

  • Posição CRUZEIRO (23º06’00”S/046º34’10”W) .
  • Posição COSMÓPOLIS (22º39’01”S/ 047º 11’17”W).

Referências visuais:

  • Setor norte de Atibaia.
  • Cruzamento da Rod. Dom Pedro I com a Rod. Fernão Dias (Posição CRUZEIRO).
  • Cidade de Morungaba (Posição MORUNGABA – 22°52’51”S/ 046°47’33”W).
  • Cidade de Jaguariúna (Posição JAGUARIÚNA – 22°42’22”S/046°59’12”W).
  • Cidade de Cosmópolis. 

Altitudes:

  • 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • CRUZEIRO / MORUNGABA = 337º / 157°.
  • MORUNGABA / JAGUARIÚNA = 335º / 155°.
  • JAGUARIÚNA / COSMÓPOLIS = 307º / 127º.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHz entre as Posições CRUZEIRO e COSMÓPOLIS. 

Procedimentos específicos:

  • Para ingresso no espaço da projeção vertical da Terminal São Paulo 3, com destino Exclusivo a Amarais através dos Portões 4, 5 e 6, contato com a Frequência de Coordenação FCA Amarais na frequência 125,775 MHz para coordenação..
  • Atentar para a área proibida SBP 402 – REFINARIA DE PAULÍNEA, onde o sobrevoo é proibido abaixo de 3500 FT.
  • Observar a Área Restrita SBR – 460 com os limites verticais GND até 5000 FT. 

 

Corredor November

Limites:

  • Posição COSMÓPOLIS (22º39’01”S/047º11’17”W).
  • Posição CAPIVARI (23º00’00”S/047º29’25”W).

Referências visuais:

  • Cidade de Cosmópolis.
  • Estádio de Futebol Décio Vita na Cidade de Americana (Posição  AMERICANA – 22º44’04”S/047º20’53”W).
  • Cidade de Capivari. 

Altitudes:

  • 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • COSMÓPOLIS / AMERICANA = 261º / 081º.
  • AMERICANA / CAPIVARI = 227° / 047°.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHz entre as Posições COSMÓPOLIS e CAPIVARI. 

Procedimentos específicos:

  • N/A

 

Corredor Oscar

Limites:

  • Posição PEDRAS (Cidade de Rio das Pedras – 22º50’45”S/047º36’06”W)
  • Posição SÃO ROQUE (23º31’43”S/047º08’11”W).

Referências visuais:

  • Cidade de Rio das Pedras
  • Cidade de Capivari (Posição CAPIVARI – 23º00’00”S/047º29’25”W).
  • Cidade de Itu (Posição ITU – 23º15’54”S/047º17’58”W).
  • Cidade de São Roque (Posição SÃO ROQUE). 

Altitudes:

5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • PEDRAS / ITU = 167º / 347º.
  • ITU / SÃO ROQUE = 171º / 351º.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHz entre as Posições PEDRAS e SÃO ROQUE. 

Procedimentos específicos:

  • N/A

 

Corredor Papa

Limites:

  • Setor Leste da Cidade de Sorocaba.
  • Posição TRAVES ITUPEVA (23º10’34”S/047º03’36”W).

Referências visuais:

  • Setor Leste de Sorocaba.
  • Cidade de Itu (Posição ITU).
  • Rod. SP-300.
  • Setor sul de Itupeva (Posição TRAVÉS ITUPEVA). 

Altitudes:

  • Entre Setor Leste da Cidade de Sorocaba e ITU: 5000 FT.
  • Entre a ITU e TRAVES ITUPEVA: 4000FT.

Rumos magnéticos:

  • Setor Leste da Cidade de Sorocaba / ITU = 058º / 238º.
  • ITU / TRAVES ITUPEVA = 089º / 269º. 

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHz entre ao Setor Leste da Cidade de Sorocaba e a posição TRAVÉS ITUPEVA. 

Procedimentos específicos:

  • Manter contato com a TWR-JD na frequência 118,75 MHz a partir da Posição TRAVÉS ITUPEVA.
  •  Observar tráfego de planadores no setor W do Aeródromo de Jundiaí.
  • Para entrada e saída no/do Aeródromo de Jundiaí, observar e ajustar-se à VAC SBJD, em contato com a TWR-JUNDIAÍ na frequência 118,75 MHz.

 

Corredor Quebec

Limites:

  • Posição CRUZEIRO (23º06’00”S/046º34’10”W).
  • Posição TRAVÉS JARINU (23º06’04”S/ 046º45’57”W).

Referências visuais:

  • Cruzamento da Rodovia Fernão Dias com a Rodovia D. Pedro I (Posição CRUZEIRO).
  • Cidade de Atibaia.
  • Través W da Cidade de Jarinu. 

Altitudes:

  • 5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • CRUZEIRO  / TRAVÉS JARINU = 290º / 110°.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHz entre as Posições CRUZEIRO e TRAVÉS JARINU. 

Procedimentos específicos:

  • Para ingresso na CTR-SP5 pelo Portão 3 (TRAVÉS JARINU), estabelecer contato com a TWR-JD na frequência 118,75 MHz. 

 

 Corredor Romeo

Limites:

  • Posição SALESÓPOLIS (23°31’45”S/045°50’53”W).
  • Posição ITAQUERA (23°32’44”S/046°28’04”W). 

Referências visuais:

  • Cidade de Salesópolis (Posição SALESÓPOLIS).
  • Cidade de Biritiba Mirim.
  • Represa de Taiçupeba (Posição REPRESA – 23º35’43”S/046º16’03”W).
  • Setor Leste da cidade de São Paulo.
  • Estação de Metrô Itaquera (Posição ITAQUERA). 

Altitudes:

  • De SALESÓPOLIS para REPRESA, máximo 5500 FT.
  • De REPRESA para ITAQUERA máximo  5000 FT.

Rumos magnéticos:

  • SALESÓPOLIS  / REPRESA = 281°.
  • REPRESA  / ITAQUERA = 306º. 

Comunicações:

  • Contato com Controle São Paulo na frequência 129,50 MHz entre as posições REPRESA e ITAQUERA. 

Procedimentos específicos:

  • Rota de sentido único.
  • Observar o cruzamento com a REH ECOLÓGICO com altitude máxima de 3000 FT.
  • Manter contato com o APP-SP na frequência 129,50 MHz entre a Posição REPRESA e a Posição ITAQUERA.
  • Durante o percurso de chegada, entre a posição REPRESA e ITAQUERA, o APP SP informará a pista em uso em Marte e a opção de Portão de entrada a ser utilizada: Portão COMETA ou Portão DUTRA.
  • Observar SBD-422.

 

Corredor Sierra

Limites:

  • Posição PIRAPORA (23°23’51”S/047°00’14”W) .
  • Posição PERUS (23º25’14”S/046º45’37” W). 

Referências visuais:

  • Cidade de Pirapora do Bom Jesus (Posição PIRAPORA).
  • Setor do sul Distrito de Perus (Posição PERUS).

Altitudes:

  • Altitude máxima: 4200 FT.

Rumos magnéticos:

  • Rumo 117º.

Comunicações:

  • Ingresso na rota em contato com o Controle São Paulo na frequência 129,50 MHz na Posição PIRAPORA. 

Procedimentos específicos:

  • Rota de sentido único da Posição PIRAPORA para a Posição PERUS;
  • Observar aeronaves na REA JULIETT no sentido PEDÁGIO-PERUS; e
  • Observar REH ANHANGUERA SUL na vertical da Rodovia Anhanguera com altitude máxima de 3500 FT e cruzamento de aeronaves na REA JULIETT no sentido PEDÁGIO-PERUS.

 

Corredor Tango

Limites:

  • Posição PERUS (23°25’14”S/046°45’37”W).
  • Posição MORATO (23°15’25”S/046°44’52”W). 

Referências visuais:

  • Distrito de Perus (Posição PERUS).
  • Cidade de Caieiras.
  • Cidade de Franco da Rocha.
  • Cidade de Francisco Morato (Posição MORATO). 

Altitudes:

  • Altitude máxima: 4200 FT.

Rumos magnéticos:

  • Rumo 025°. 

Comunicações:

  • Manter contato com Controle São Paulo na frequência 129,50 MHz até a Posição MORATO. 

Procedimentos específicos:

  • Rota de sentido único da Posição PERUS para a Posição MORATO.
  • Rota utilizada apenas para saídas do Aeródromo Campo de Marte.
  • Decolando da pista 12, observar velocidade compatível para não ultrapassar o limite da CTR-São Paulo 4 até interceptar o eixo da REA TANGO.

 

Corredor Uniform

Limites:

  • Posição CAPIVARI (23°00’00”S/047°29’25”W).
  • PosiçãoI NDAIATUBA (23°05’33”S/047° 12’51”W).

Referências visuais:

  • Cidade de Capivari.
  • Cidade de Elias Fausto.
  • Cidade de Indaiatuba. 

Altitudes:

  • Altitude máxima: 3500 FT.

Rumos magnéticos:

  • CAPIVARI / INDAIATUBA = 131º / 311º.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHZ.
  • Contato com a TWR Campinas na frequência 118,25 MHz na Posição INDAIATUBA.

Procedimentos específicos:

  • Rota utilizada apenas para entrada e saída do Aeroporto de Viracopos.

 

Corredor Victor

Limites:

  • Posição ITU (23º15’54”S/047º17’58”W).
  • Posição INDAIATUBA (23°05’33”S/047°12’51” W).

Referências visuais:

  • Cidade de Itu.
  • Cidade de Salto.
  • Cidade de Indaiatuba. 

Altitudes:

  • Altitude máxima: 3500 FT.

Rumos magnéticos:

  • ITU  / INDAIATUBA = 045º /  225º.

Comunicações:

  • Coordenação rádio na frequência 135,675 MHZ.
  • Contato com a TWR Campinas na frequência 118,25 MHz na Posição INDAIATUBA. 

Procedimentos específicos:

  • Rota utilizada apenas para entrada e saída do Aeroporto de Viracopos. 

 

Anexo II – Uso das Comunicações na Circulação VFR

10.1.OBRIGATORIEDADE DE CONTATO RÁDIO

As aeronaves em voo VFR em quaisquer espaços abrangidos por esta AIC, em princípio, estão dispensadas de comunicações com os órgãos do ATS, salvo nas condições de ordenamento de tráfego local de aeródromo ou nas demais situações abaixo definidas. Entretanto, recomenda-se que haja um planejamento prévio ao voo, em que o piloto observará as frequências rádio a serem utilizadas, os órgãos ATS a serem contatados ou ouvidos e o local geográfico de transferência de frequência.

10.1.1. COMUNICAÇÕES NA TERMINAL SÃO PAULO 2

  • 10.1.1.1. A frequência a ser utilizada quando em voo VFR nas REA da Terminal São Paulo 2 será a do Controle São Paulo, 129,50 MHz.
  • 10.1.1.2. O Controle São Paulo orientará quanto à mudança de frequência no momento oportuno e informará frequência e nome do órgão a ser conectado.
  • 10.1.1.3. Quando se destinar aos Aeródromos de Campo de Marte ou Guarulhos, o contato inicial com o Controle São Paulo deverá ser efetuado na entrada da Terminal São Paulo 2.
  • 10.1.1.4. As aeronaves enquadradas no item anterior utilizarão as frequências 133,35 MHz para contato com a TWR-Marte ou 132,75 MHz para contato com a TWR-Guarulhos.
  • NOTA: Previamente, deverão ouvir o ATIS Marte 127,7 25 MHz ou ATIS Guarulhos 127,75 MHz.

10.1.2. COMUNICAÇÕES NA ZONA DE CONTROLE DE SÃO PAULO 1

  • 10.1.2.1. Os contatos necessários na CTR-São Paulo 1 relativos ao voo VFR são, exclusivamente, os realizados entre os Helicópteros e o Controle Helicóptero São Paulo, cuja frequência de atendimento é 118,35 MHz.
  • NOTA: Não há operação VFR para aviões no Aeródromo de Congonhas.
  • 10.1.2.2. Para efeito de pouso em Congonhas, cruzamento da área do aeródromo ou trânsito pelo setor sul da CTR-São Paulo 1, deverá haver contato prévio com a TWR-SP em 127,15 MHz.

10.1.3. COMUNICAÇÕES NA ZONA DE CONTROLE DE SÃO PAULO 2

10.1.3.1. É compulsório o contato rádio com a TWR-GR em 132,75 MHz:

  • a) sempre que pretender ingressar na CTR-São Paulo 2 para efeito de operação no aeródromo;
  • b) para cruzamento do aeródromo Internacional de Guarulhos; e
  • c) para voo nas REH, nos trechos que adentrem a CTR-São Paulo 2.

10.1.4. COMUNICAÇÕES NA ZONA DE CONTROLE DE SÃO PAULO 3

  • 10.1.4.1. As aeronaves em voo VFR para ingresso na CTR-São Paulo 3 com destino ao aeródromo de Campinas (Viracopos) deverão estabelecer contato rádio com a Torre Campinas em 118,25 MHz na vertical da Cidade de Indaiatuba, conforme definido em 4.2.1, letra “b”.
  • 10.1.4.2. Os helicópteros em voo na REH ANHANGUERA-NORTE, para pouso ou cruzamento da CTR-SP3, deverão estabelecer contato com a TWR Campinas, conforme definido em 6.4.1.4, letra “b”.

10.1.5. COMUNICAÇÕES NA ZONA DE CONTROLE SÃO PAULO 4

  • 10.1.5.1.As aeronaves em voo VFR nas REA ALFA, JULIETT e INDIA deverão estabelecer contato com a TWR-MT, respectivamente, nas posições ANHANGUERA, PERUS e ITAQUERA e nos Portões de entrada para o Circuito de Tráfego.
  • 10.1.5.2.Os helicópteros em voo na REH MARTE não deverão estabelecer contato com a TWR-Marte quando do cruzamento do setor sudoeste da CTR-SP4. Entretanto, recomenda-se fiel observação da altitude de 3100 FT estabelecida para cruzamento da referida CTR.
  • NOTA: Aviões em voo na Perna do Vento do Circuito de Marte manterão 3600 FT, enquanto que os Helicópteros, no Circuito, deverão limitar-se à altitude de 3100 FT.

10.1.6. COMUNICAÇÕES NA ZONA DE CONTROLE SÃO PAULO 5

  • 10.1.6.1.As aeronaves destinadas a acessar a CTR-SP5 pelos portões 2 (Morato), 3 (Través Jarinu), REA PAPA (Itupeva) deverão estabelecer contato com a TWR JUNDIAÍ nos limites da CTR-SP5.

10.1.7. COMUNICAÇÕES NA ZONA DE CONTROLE SÃO PAULO 6

  • 10.1.7.1. As aeronaves destinadas a acessar a CTR-SP6 pelos portão 12 (Guararema), REA FOXTROT, deverão estabelecer contato com o APP-SP nos limites da CTR-SP6.

10.1.8. COMUNICAÇÕES NA PROJEÇÃO VERTICAL DA TMA-SÃO PAULO 2

  • 10.1.8.1. É exigida a comunicação de coordenação entre helicópteros em voo na Projeção Vertical da TMA-São Paulo 2, em 127,35 MHz. 
  • 10.1.8.2. O uso da frequência 127,35 MHz está limitado apenas à Projeção Vertical da TMA-São Paulo 2. Nos limites laterais dessa Projeção, será feita a troca para a frequência de coordenação do setor correspondente, 126,65 MHz ou 135,675 MHz, conforme definido em 4.2.10.1.

10.1.9. COMUNICAÇÕES NA PROJEÇÃO VERTICAL DA TMA-SÃO PAULO 3

  • 10.1.9.1. As comunicações na projeção vertical da TMA-São Paulo 3 serão relativas à coordenação entre aeronaves na frequência 135,675 MHz.
  • 10.1.9.2. As aeronaves destinadas ao aeródromo de AMARAIS coordenarão conforme definido em 4.2.1, letra “c” supra.

Referências bibliográficas

Pesquisa:

  • Ranzini
  • Satoshi

Saiba mais:

Redes

Alexandre Sales

Piloto Privado de Avião, desviando de urubus nos céus da Terminal São Paulo desde o primeiro voo
Redes
  • Raul Marinho

    Mataram a pau, hein!? Parabéns, ficou excelente!!!

    • Rodrigo Satoshi

      Obrigado, somente a figura que mostra a configuração vertical da TMA SP está incorreta, as CTR SP 1, CTR-SP 2 , CTR-SP 3, CTR-SP6 são classe C. E a CTR-SP 4 e CTR-SP 5, são classe D.

  • Arthur Mendonça

    Excelente artigo, parabéns! Será que poderiam disponibilizar em pdf para download? Pois o download via navegador fica com a formatação do site. Obrigado e parabéns pelo trabalho!

  • Eduardo Gomes

    Agradecimentos aos que fizeram. Parabéns pelo ótimo material desenvolvido. Abs EduGomes.

  • Enderson Rafael

    Parabéns aos que explicaram. Lamentável que o DECEA não saiba fazer cartas autoexplicativas (afinal, se são cartas, deveriam se autoexplicar, não é? Mas esperar o quê de nego que faz até carta de IFR sem frequencia de rádio-auxílio…)

  • Marques

    Quero parabenizar o Ranzini e o Satoshi pelo trabalho maravilhoso, porém, lendo o material e comparando-o com a carta de corredores visuais REA ficou uma dúvida. Escrevem nessa primorosa apresentação no item 10.1.5. que para o corredor India deve-se chamar a twr sbmt na posição Itaquera, não seria na posição céu formosa? Pergunto porque a posição Itaquera fica no corredor ROMEO e, não, INDIA, certo? De qualquer forma, meus parabéns e muito sucesso. Abraços Marque

  • Marques

    Em tempo. Os comentários dos amigos estão corretos e a aic 23/2013 que traz esta informação, por eles, reproduzida.

  • Juliano Pavilaki

    Parabens, era exatamente o que eu procurava, preciso planejar um voo de SSZW até SBMT e o que encontrei aqui me ajudou e muito, excelente trabalho!