5 dicas para ser aprovado no CMA

Dentre os diversos exames existentes na aviação, o CMA (Certificado Médico Aeronáutica) ainda é um dos mais temidos, por um simples motivo.

Se o curso teórico for difícil, você pode estudar mais. Se o curso prático tiver seus desafios, você pode sempre refazer a aula de voo. Mas, se você tiver um problema de saúde reprovatório e incurável, terá de se despedir do sonho de voar. Ou seja, de todas as barreiras da aviação, o fator Saúde é o único que realmente pode lhe barrar.

Melhor do que ter medo do CMA, é se preparar para ele, e esse é o objetivo da lista de hoje.


Informe-se previamente

A informação é uma das melhores armas que você tem de seu lado, portanto, a melhor maneira de começar é saber o processo de cada exame, qual o resultado esperado, e o que deve-se evitar para ficar de pendência ou reprovação.

Apesar dos exames serem o principal foco, procure se informar também sobre o local onde você fará o exame. As clínicas credenciadas e Hospitais das Aeronáutica trabalham com agendamentos, senhas e protocolos. Chegar atrasado, esquecer documentos, ou não achar a junta médica certa, podem render uma dor de cabeça considerável.

Informe-se através de videos, podcasts, e-books, e conversando com quem já passou pelo mesmo local.


Saiba o que reprova

É sempre importante conhecer seu inimigo, nesse caso, os quesitos reprovatórios do exame.

Fatores simples, como uma cárie no dente, podem lhe deixar de pendência. Outros problemas mais graves e irreversíveis, como uma audição prejudicada, podem lhe impossibilitar permanentemente.

É possível conseguir através da internet a “pequena lista” de problemas de saúde que podem render uma pendência ou reprovação. A lista é longa, mas de essencial leitura.


Faça os exames previamente

Durante sua formação aeronáutica você aprenderá que na aviação não há lugar para o “Acho”. A incerteza nunca pode ocupar lugar em sua rotina. Isso também pode e deve ser aplicado no caso do CMA.

Você acha que já está na hora de trocar de óculos? Está preocupado por utilizar fones de ouvido várias horas por dia? Aquele canal mal feito está incomodando seu dente? E como será que está sua taxa de glicemia e colesterol com sua alimentação atual?

Nesses casos, marque um exame particular antes de seguir ao CMA. Você não apenas se livrará da incerteza, mas também terá tempo de corrigir o possível problema antes do exame oficial.


Não produza resultados contra você

Parte das avaliações pelas quais você passará incluirão conversas com médicos e preenchimento de formulários sobre seu histórico médico.

Por um lado você NÃO, jamais, nunca deverá omitir problemas de saúde. Lembre-se que o objetivo do exame é garantir que você tenha condições de aguentar o estresse físico causado pelo voo, sendo que caso não esteja apto, isso poderá representar risco para a segurança de voo. Você e muitas outras pessoas poderão estar em perigo se você cogitar mentir ao profissional de saúde.

Por outro lado, não considere o profissional da junta de saúde como sendo alguém com quem você pode desabafar. Há casos de candidatos que se abriram totalmente, falando em detalhes as dores que sentiram no último mês, os problemas de saúde da infância, seus medos irracionais, sonhos mais frequentes, períodos de crise na vida e etc. Tais candidatos podem ser reprovados por ansiedade, mesmo que estivessem ansiosos apenas no momento, e não em sua vida diária.

Portanto, seja honesto, mas fale apenas o necessário e relevante ao assunto.


Raciocínio da junta médica

A melhor maneira de prever seu resultado é entender a lógica do exame.

O CMA tem como papel provar que você está apto para o voo. Sendo assim, você deve se preocupar apenas com os problemas de saúde que possam lhe prejudicar na operação da aeronave e sobrevivência no voo.

Movimento limitado no dedo mindinho, cicatriz de operação de anos atrás, prótese dentária, problema de saúde curado na infância… Nada disso prejudicará sua futura função, portanto não serão problema.

Visão limitada, insuficiência respiratória, pressão instável, sequelas que limitem seus movimentos e etc. Problemas como esses, sim, serão barreiras relevantes.

Portanto, basta se colocar no lugar do médico, e avaliar se seu problema de saúde irá ou não lhe prejudicar em voo. Não há mistérios.

Redes

Alexandre Sales

Piloto Privado de Avião, desviando de urubus nos céus da Terminal São Paulo desde o primeiro voo
Redes