5 motivos para fazer um curso de Inglês ICAO

O inglês já deixou de ser algo opcional em nossas vidas, não apenas em nossa rotina mas também na área profissional da aviação. Uma vez que este é inevitável, o mais natural a se fazer é procurar o melhor método de assimilar esse novo idioma, em busca do Certificado ICAO de Inglês.

Uma vez que já se tenha feito o mais comum, como um curso de inglês comum e intercâmbio, a linha de aprendizado se encerra? Na vida pessoal, talvez sim, mas no caso da aviação ainda é necessário um passo adicional: o curso de inglês técnico aeronáutico.

Vejamos alguns prós desse gênero de curso.


Vocabulário adicional

Os novos termos técnicos que você irá aprender são o grande pacote adicional do curso, afinal, de nada adianta você ter morado no exterior, ter uma pronuncia perfeita e conhecimento cultural, se não sabe como se diz “bordo de ataque” em inglês.

Tal conhecimento será útil não somente no teste ICAO, mas também sempre que você for lidar com a língua inglesa em documentos e checklists ainda em território brasileiro.

Só então você aprenderá que “Wing tip” não é “Gorjeta de asa”.


Saber X Saber explicar

Nesse caso podemos fazer um paralelo com o treinamento prático do PP.

É comum o aluno seguir para suas primeiras aulas tendo decorado totalmente o manual e checklists da aeronave, mas ainda sim ter alguns problemas na hora do debriefing. Isso ocorre pois o aluno se preocupa em ler e memorizar, mas não treina em como explicar esses novos conceitos para outra pessoa, como o instrutor. E é justamente isso que poderá ocorrer no teste ICAO.

Não são raros os casos de alunos que acabam tendo uma pontuação menor no teste, não por não saber o idioma, mas sim por não saber demonstrá-lo, seja pela ansiedade, ou simples falta de preparo sobre o método utilizado.

Do mesmo modo que você treinou com simulados para adquirir seu CCT, também é interessante fazer o mesmo com seu inglês técnico.


Orientação

O teste ICAO é dividido em diferentes partes, sendo que cada uma tem um foco e possibilita o candidato a demonstrar seus conhecimentos de diferentes modos.

É nessa hora que a orientação de um professor experiente faz a diferença, demonstrando quando e como o aluno de abordar certos tópicos.

Na Descrição de Imagem por exemplo, um despreparado poderia simplesmente falar “It’s an airplane landing”. Entretanto, ele poderia ter mencionado o tipo de aeronave, gênero de motores, posição dos flaps, meteorologia da foto, condições da pista, detalhes do aeroporto visíveis na imagem, e quaisquer outros detalhes através dos quais ele possa provar o domínio do idioma.


Elevando o nível

Como citado, o fator “saber, mas não conseguir demonstrar” é um problema real. Devido a isso, uma parcela do público-alvo de cursos como esse são pilotos que desejam elevar sua nota já adquirida em um teste anterior.

As notas da avaliação variam entre 1 e 6, sendo que é necessário no mínimo a nota 4 para ser aceito profissionalmente na aviação.

Tendo visto as dificuldades do teste ao tentá-lo pela primeira vez, os pilotos procuram os cursos focando em elevar seu teste de 3 para 4, ou de 4 para 5 por exemplo.

Nem todos na sala são pilotos novatos.


A diferença do professor certo

É elementar que você pesquise sobre o professor ou escola através da qual você irá se preparar, não apenas para evitar pessoas despreparadas, mas também para escolher o melhor disponível para sua situação.

Uma pessoa de 19 anos que dá aula em uma escola comum de inglês, e é entusiasta da aviação, pode dar aula de inglês técnico? Ora, nada impede. Porém, temos de concordar que um professor de inglês de 35 anos, que também é piloto ou controlador de voo, possui muito mais base para tal.

Ao buscar pela internet, resultados não faltarão, e cabe a você saber filtrá-los. Procure fazer uma pesquisa tão séria como a que você fez quando estava procurando um aeroclube/escola de aviação, pois seu futuro profissional também pode ser influenciado por essa nova escolha.

Redes

Alexandre Sales

Piloto Privado de Avião, desviando de urubus nos céus da Terminal São Paulo desde o primeiro voo
Redes