5 vantagens do treinamento paralelo em simuladores de voo

Quando se fala da relação entre simuladores de voo e o treinamento prático, muitos se limitam a pensar apenas nas horas IFR que podem ser abatidas nos simuladores homologados de avião e helicóptero. Porém a utilidade desse equipamento pode ser bem mais explorada, podendo começar antes mesmo da primeira aula de voo em uma aeronave real.


Ambientação ao voo prático

Por mais que você tenha estudado em seu curso teórico sobre os instrumentos, procedimentos e regras de tráfego aéreo, as primeiras aulas de voo ainda são um choque de realidade aos alunos, que ainda estão aprendendo a conciliar suas diversas funções no cockpit.

Afinal, quem nunca errou um checklist, ou demorou demasiadamente para realizar um check nas primeiras aulas de voo?

Nessa fase de adaptação inicial o simulador é mais do que bem-vindo, provendo um maior avanço em seu tempo de resposta e memória muscular, o que no futuro poderá lhe render uma economia em horas de voo na aeronave real.


Treinamento elementar

Os simuladores AATD, principalmente os com projeção de 180º, são ideais para treinar procedimentos nos quais o aluno possa estar tendo dificuldades, não apenas nos IFR, mas também nos do treinamento inicial.

Aproximação, arremetida, glissada, stall, pane, aproximações em pane e outros. Cada um deles possui sua complexidade, seja na coordenação dos comandos, ou no checklist que precisa ser realizado de memória e em voz alta.

Muito melhor do que ser reprovado em uma aula prática por baixo rendimento, é poder repetir esses mesmos procedimentos no simulador por um custo consideravelmente menor.


Versatilidade

Um dos principais empecilhos da aulas práticas é o tempo gasto para treinar o procedimento ou manobra alvo daquela aula. Você precisa treinar stall? Temos que primeiro nos deslocar à área ideal. A rampa de aproximação e o arredondamento são um problema pra você? Por enquanto você poderá treinar isso apenas uma vez por aula, na hora do retorno ao aeroporto.

Já no simulador, toda situação está a apenas alguns clicks de execução. Ou seja, mesmo que você alugue apenas uma hora de simulador para treinar suas dificuldades elementares, a agilidade imposta nessa repetição será muito superior, impulsionando ainda mais seu aproveitamento.

Quer ir para a aproximação final com vento de través após já ter pousado pela primeira vez? Click. Feito.


Possibilidades

A exploração de simulações paralelas dentro do equipamento é outro cenário possível.

Um exemplo são os profissionais, pilotos ou controladores, que dão aulas de fonia durante a simulação, para que o aluno treine com a maior fidelidade possível.

Isso é um ótima alternativa para quem já é formado, mas ainda não se sente confortável em voar para uma TMA movimentada.


A existência do botão P

Devido ao zelo pela segurança de voo, alguns treinamentos não são realizados nas aulas práticas, como a pane de instrumentos, de controles, de pitot, e a recuperação de parafuso.

Essa é mais uma margem que pode ser ultrapassada nos simuladores. A situação pode ser feita e refeita, e se o pior acontecer, basta apertar o P para Pausar.

Redes

Alexandre Sales

Piloto Privado de Avião, desviando de urubus nos céus da Terminal São Paulo desde o primeiro voo
Redes