CP Cast 57 – Formação de Piloto Agrícola

posted in: CP Cast | 6

Este é o CP Cast – O podcast de aviação do Canal Piloto

Oscar Lima Alfa senhores aviadores! Hoje Alexandre Sales (PP), Josué Andrade (PLA), Luiz Ribeirinho (PP), e Renato Cobel (PP) conversam sobre a formação e mercado de trabalho do Piloto Agrícola!

No CP Cast de hoje: Saiba quais os requisitos para iniciar essa formação, descubra quais são os desafios teóricos e práticos dessa modalidade, veja como é a concorrência e distribuição do mercado de trabalho no Brasil, saiba em quais estados e países essa aviação é mais utilizada, se prepare para fazer os cálculos de peso e balanceamento, e tome cuidado para não matar a lavoura do vizinho!

Patrocínio:

Comentado na leitura de e-mails:

Produtos Canal Piloto:

Participe do CP Cast:

Conteúdo relacionado ao episódio:

Feed para o iTunes ou agregador:

E-mail

  • Envie suas sugestões e mensagens para serem lidas no ar através de nosso e-mail.

Clique no PLAY para escutar o episódio:

Play
Redes

Alexandre Sales

Piloto Privado de Avião, desviando de urubus nos céus da Terminal São Paulo desde o primeiro voo
Redes
  • Yuri Silva

    It’s my life pra vc também, RIBEIRINHO!!! rs

  • Mariano

    peso e balanceamento? desconheço

  • Douglas Martins Nos

    Mais um excelente CP Cast, trazendo novas informações, que me tornam cada vez mais sábio na aviação, hehehe.

  • Teichmann

    Bom CPCast, parabéns para o Sales, Cobel e Ribeirinho e Josué Andrade!

    Como a assunto é bastante amplo, eu acredito que ainda tenha ficado muito assunto para um próximo programa, com um piloto agrícola da ativa, tratando além da parte do curso, explicada neste cast, um pouco mais da rotina do dia-a-dia destes profissionais, porque eu achei que ficou com o “tom” de “nossa que barbada” trabalham 6 meses e folgam 6!! Cara, eu não sou piloto agrícola, mas acompanho a rotina, você entrar as 6h da manhã dentro de um cocpit agrícola, almoçar embaixo da asa do avião numa pista de terra, a maioria das vezes curta e estreita, e seguir trabalhando até os 30min após o por do sol (aqui no sul, leia-se 21:40 no horário de verão de dezembro), não é pra qualquer um. O Josué deixou claro, que numa empresa de aviação agrícola, você não voa sempre a mesma área, e seguidamente está em lugares novos, que você não conhece bem as divisas, então a atenção tem de ser redobrada, para não aplicar na área do vizinho, não aplicar produtos de soja no arroz, pois um mata a outra cultura, cuidando divisas que as vezes são só estradas, cuidando o vento, que pode mudar sem aviso, etc!! Sempre antenado em todos os dados do motor, aviônica, vazões, derivas, GPS, técnico de solo e patrão chamando no rádio amador, limites de áreas, que as vezes o pessoal no solo te diz: da árvore pra cá você abre a aplicação – lá de cima você vê 15 árvores, qual delas será a certa?-
    Manobra de balão voando faca, ou bem aberto, voado, qual o melhor, e o mais seguro, o tempo para isto, quantos hectares/hora um bom piloto consegue fazer num Ipanemão, e num Air Tractor, afinal eles irão receber um valor X por hectare voado, além do fixo, então é uma corrida de fórmula 1, cada segundo conta, no tiro aplicando, no balão para retorno, no pouso curto, na reposição da calda com boa equipe e equipamentos no solo, na decolagem, etc… E amigos, aplicando 200kg/ha de uréia em 1.000ha, carregando 600kg no Ipanemão, ou 1.000kg no AT, faz-se 3ha ou 5ha por vôo (período entre a decolagem e o pouso, para gastar uma carga), se o seu equipamento conseguir liberar esta vazão, que normalmente não faz… então calculem o número de pousos e decolagens, numa tarde de dezembro, com 38 ou 40 gruas celcius, pressão baixa antes de uma chuva, etc… é muita pressão!! Ah estava esquecendo, adicionem a tudo isto, o tal peso e balanceamento, potência do motor para decolagem, cada grau a mais de temperatura acima da ISA adicione 1% de comprimento de pista, etc…
    MEUS CUMPRIMENTOS PARA ESTES PROFISSIONAIS DO VÔO BAIXO, que viabilização a nossa produção agrícola, base econômica do nosso país!!!
    E parabéns ao Canal Piloto por trazer este tema para discussão. Outro setor muito importante desta profissão é a segurança… capítulo a parte!!
    Abraços.
    FLW. (foxtrot lima wiskey)

    P.s.: me empolguei, deveria ter escrito um e-mail né?! :)

  • Davi Manoel

    O tão esperado Cp Cast sobre aviação agrícola!! Sempre achei essa parte da aviação sensacional, além de possuir aeronaves especificas ( e muito legais por sinal) acredito que o fato do piloto agrícola sempre estar fazendo aqueles rasantes deve ser incrível, não apenas para o piloto mas para as pessoas em volta. Parabéns novamente a todos do Canal Piloto por nos proporcionar a cada Cp Cast o aprimoramento intelectual para o meio aeronáutico, seja para os que já são da aviação ou para os que assim como eu sonham em um dia cruzar os céus! Valeu… ;)

  • Clayton J.Santos

    Oscar Lima Alfa.

    Alguém aqui poderia me esclarecer uma dúvida? O piloto está sujeito a contaminação por defensivos químicos? Os E.P.I´s que ele utiliza os protegem? Os aviões que são utilizados para pulverização no Brasil possui algum tipo de vedação para proteger o piloto do contato com os fungicidas?