CMA – Estrabismo e sequela de fratura reprovam no CMA?

posted in: CMA | 1

Seguindo com nossa série sobre dúvidas quanto ao CMA – Certificado Médico Aeronáutico, vamos responder à pergunta de hoje:

Duvida

Estou iniciando os estudos PP e me deparei com dúvidas sobre o CMA.

1° Aos 2 anos de idade fiz cirurgia de correção oftalmológica (estrabismo). Houve redução de grau corretivo de -7,5° para -1,0°. O grau está estático nos últimos 7 anos ou mais.

2° Aos 12 anos sofri fratura no cotovelo direito e fiz 3 cirurgias, não tenho sintoma algum e nunca senti dificuldade para executar qualquer movimento. Porém, não executo 100% do movimento de estender e dobrar o braço, a diferença é pouca e não me atrapalha, mas existe.

Corro o risco de não ser aprovado nos exames, devido estes 2 problemas?

Abraços e cliques,

Nossa resposta

Estrabismo é o distúrbio que afeta o paralelismo entre os dois olhos, que irão apontar para direções diferentes. Poderá ser:

– Convergente (esotropia): um ou ambos os olhos se movem para dentro

– Divergente (exotropia): quando um ou ambos os olhos se movem para fora

– Vertical (hipertropia): quando se deslocam para cima ou para baixo

O movimento dos olhos é controlado por seis pares de músculos, comandados pelos nervos cranianos, que estão conectados ao sistema nervoso central. Quando algo comprometer o funcionamento harmônico desses músculos, causará o estrabismo.

Causas Prováveis: dificuldade motora para coordenar o movimento dos dois olhos; grau elevado de hipermetropia, que obriga forçar a aproximação dos olhos para compensar a dificuldade de visão (endotropia acomodativa) ; baixa visão em um dos olhos; doenças neurológicas (AVC, paralisia cerebral, traumas), genéticas (síndrome de Down), oculares (catarata congênita), infecciosas (meningite, encefalite), da tireoide, diabetes e hereditariedade. 

No exame oftalmológico serão realizados testes específicos: cover test, cover-uncover test (verificar forias e tropias), baqueta de Maddox e prisma rotatório de Risley.

Conforme a RBAC67  nos requisitos oftalmológicos, deverá possuir equilíbrio muscular perfeito, sendo permitido, no máximo, 1 dioptria prismática de hiperforia, 5 de exoforia e 10 de endoforia e capacidade de divergência de 3 a 15 dioptrias prismáticas e não pode possuir heterotropia.

Em relação aos requisitos ósteo-articulares, conforme a RBAC67, o candidato não poderá apresentar qualquer anomalia dos ossos, articulações, músculos, tendões ou estruturas conexas que, a critério do examinador ou da ANAC, sejam susceptíveis de causar alguma deficiência funcional que possa afetar a segurança de voo. Portanto, em relação à sequela de fratura de cotovelo, que você referiu apresentar, será avaliado o grau de limitação do movimento e se apresenta problemas à segurança de voo.

 Atenciosamente,

Dra. Tatiana Trigo
Médica Aeroespacial

O leitor de hoje enviou sua dúvida através do nosso e-mail. Você pode fazer o mesmo, caso não encontre a resposta nas perguntas já respondidas.

  • Thais Ferreira

    Olá, Tatiana

    Tenho catarata congênita e fui reprovada no CMA a medica disse que o motivo é que eu não posso ter catarata querendo ser comissaria, vou recorrer a decisão dela pois pelo que entendi a RBAC 67.139 não diz que não posso ter catarata apenas diz que o funcionamento dos olhos e de seus anexos deve ser normal. Não pode existir condição patológica, aguda ou crônica, em nenhum dos dois olhos ou anexos, que possa impedir sua função correta a um grau tal que, a critério do examinador ou da ANAC, afete a segurança de voo. pelo que entendi eu posso ter com tanto que este problema não afete a segurança do voo e segundo meu oftalmo o meu caso não e grave. então acredito que posso sim ser aprovada. me ajude atender melhor isso pois não quero me decepcionar mais sendo reprovada no cemal. será que tenho chances ou e certo que não serei aprovada?

    desde já agradeço!