Como Zezé Di Camargo e Luciano exemplificam a situação do F-15

posted in: Alexandre Sales, Artigos | 1

Esse é certamente o título mais incomum que você leu hoje. Mas sim, explicaremos como apesar dos cenários diferentes, o filme ainda é o mesmo.

Em 2011 durante um show da dupla, Luciano sobe ao palco após atritos nos bastidores, anunciando para todos os presentes que seguiria com a dupla só até o final do ano. Após a data, devido problemas de saúde e desentendimentos com seu parceiro, abandonaria o mundo da música.

Depois do impacto inicial na mídia e fãs, Zezé e os assessores da dupla fizeram de tudo para retratar tal afirmação, explicando que tudo foi dito no calor do momento, e que a dupla iria continuar junta sim, o que de fato ocorreu.

Uma afirmação prematura, dita por instinto, que ganhou a mídia, e teve de ser apaziguada e explicada? Já vimos esse mesmo filme em diversas histórias, do meio político, de cinema, mundo pop, e claro, no universo militar.


No palco, dizem: O F-15 está com seus dias contados

Durante uma coletiva do House Armed Services Committee, o republicano Joe Wilson questionou a possibilidade da USAF aposentar 236 unidades do caça McDonnell Douglas F-15C/D Eagle, os quais seriam substituídos pelo General Dynamics F-16 Fighting Falcon.

Fazendo o papel de Luciano está o Lt. Gen. Scott Rice, director da Air National Guard, que acabou afirmando que a substituição é sim uma possibilidade.

Contudo, a também republicana Martha McSally estranhou a afirmação, e posteriormente questionou o Air Force’s director Maj. Gen. Scott West sobre o assunto. Para ambos, aquilo era tudo novo. A tensão aumenta.

Scott West, o Zezé de nossa história, fez então tentativas de explicar a situação, dizendo que nenhuma decisão oficial de aposentar os caças havia sido tomada. Ao final, West and Rice concordaram que a afirmação inicial foi prematura. “A dupla não acabou”.

Contudo, as especulações dos fãs do F-15 não acabariam por aí.

Comparações sertanejas a parte, a mesma novela ocorreu com o Fairchild Republic A-10 Thunderbolt II. Por tempos tentaram aposentar a aeronave, mas em um desfecho irônico, ela acabou na verdade recebendo uma modernização de asas, e agora pode voar até… 2040!

Mas ao fim, o questionamento já havia sido lançado ao ar: Até quando o F-15 irá durar? E quais as consequências de substituí-lo pelo F-16?


F-15 e F-16: “Different types of aircraft with different capabilities” – Wilson

A polêmica dessa aparente ‘simples troca de caças’ se baseia na comparação de capacidade das duas aeronaves.

O F-15 C/D tem como papel principal a defesa aérea, o combate contra outras aeronaves. Já o F-16, como consagrado Multirole Fighter, apesar de também poder desempenhar essa função, não teria a mesma capacidade por não ter sido desenvolvido com esse foco.

Dentre as maiores diferenças está o armamento. O F-16 pode carregar 6 mísseis air-to-air, o que apesar de parecer um bom número, é uma quantidade medíocre perto do concorrente. O F-15 atualmente pode levar até 8 mísseis do mesmo gênero, porém, o projeto F-15 2040C apresentado em 2015 pela Boeing na conferência anual da Air Force Association, pode fazer com que a capacidade seja dobrada para 16 mísseis!

F-

A capacidade dos canhões das aeronaves também favorece o atual caça. São 500 projéteis para o F-16, contra 940 para o F-15, para o mesmo modelo de armamento.

Somado a isso está a capacidade de radar das aeronaves. Caso o F-16 venha a substituí-lo, tais caças precisariam de novos radares AESA (Active Electronically Scanned Array), para ficar par a par com seu antecessor, o que também somaria a seu custo unitário.

Mas e quanto aos F-18, F-22 e F-35? Levando em conta que toda a discussão de substituição não é apenas sobre a eficiência mas também sobre o preço, vale checar o custo por hora de voo de cada aeronave, em parte reunida pelo site Business Insider:

  • F-22A: $33,538
  • F-35A: $28,455
  • F-15D: $23,263
  • F-15C: $23,124
  • F/A-18F: $10,507
  • F-16C/D: $8,300

E você reclamando dos preços do seu aeroclube.


It’s the fighter USAF deserves, but not the one it needs right now

Depois de informações contraditórias e explicações, parece que o único consenso é que o assunto ‘Aposentadoria do F-15’ só virá seriamente aos holofotes quando o F-35 assumir seu posto. Isso, se o preço de seu programa de desenvolvimento deixar.

Nesse meio tempo a USAF está presa com a matemática financeira, e infelizmente manter o F-15 voando está cada vez mais caro. O programa de modernização que ele precisará em sua fuselagem para se manter operacional até 2020, custará $40 milhões… Por unidade.

Levando em conta os preços totais, com $80 milhões você pode escolher entre ter dois F-15 modernizados, ou um novo F-35A. Quantidade ou qualidade? Ao menos o atual presidente dos EUA, Donald Trump, já tem sua resposta quando se trata do F-35.

Com novos políticos, conflitos, orçamentos e acima de tudo, concorrentes (falo de você, PAK FA), vejamos como o show da dupla Eagle e Falcon irá terminar.


Redes

Alexandre Sales

Piloto Privado de Avião, desviando de urubus nos céus da Terminal São Paulo desde o primeiro voo
Redes
  • Pacelli Francesco

    “vale checar o custo por hora de voo”. Agora eu sei porque quando alguém fala que vai fazer aviação militar e depois migrar para a civil, é alvejado de criticas.