Dúvida – Devo buscar uma alternativa ao mercado instável da aviação?

posted in: Duvidas | 1

Então senhores, seguindo com nossa série Pergunte ao Canal Piloto, vamos responder à dúvida de hoje:

Dúvida

Oscar Lima Alfa Aviadores

Me Chamo Gabriel Pires , tenho 15 anos , moro em BH e atualmente estou cursando o técnico de Mecânica  no CEFET , pretendo começar o PP quando terei 17 anos , e logo depois da formação do ensino médio  pretendo terminar o PP , e começar o PC (tudo em aeroclube), e paralelamente a isso penso em fazer a graduação em engenharia aeroespacial. Eu pretendo ser piloto , mas visando como o mercado da aviação é instável, acho interessante ter alguma profissão”reserva” , e além de se tratar da  área .

Minha duvida é : você acha que a graduação será algo útil em minha formação para ser piloto , por se tratar da área aeronáutica , ou não ?

E também, valeria a pena depois da graduação como engenheiro fazer a faculdade de ciências aeronáuticas ? 

Gostaria de parabeniza-lo pelo o grande trabalho que faz no canal piloto , ajudando jovens sonhadores como eu , muito obrigado

Abras.

Gabriel Pires

Nossa resposta

Gabriel,

Como todos sabem, sou INVA na EJ – Base de Jundiaí, e sempre quis ser piloto de avião. Desde que me conheço como gente, adorava brincar com aviões, e só não fui fazer o PP aos 18 anos pois uso óculos, e achava que devido a isso nunca me tornaria piloto. O tempo passou e acabei descobrindo que os óculos não eram impedimento nenhum.

Comecei o meu PP aos 26 anos. Eu trabalhava no salão de cabeleireiros da minha mãe, ou seja, era dono do negócio. Mas era algo que não me fazia feliz, pois sempre fui apaixonado pela aviação.

Chequei o PP, PC e INVA, e tive alguns percalços pelo caminho, como ficar seis meses sem voar devido a problemas pessoais, e com medo de nunca mais “estar lá em cima”. Hoje trabalho naquilo que realmente gosto, “estar lá em cima, vendo o mundo de outro ângulo”. Quando entrei na EJ, o mercado já estava entrando nesse momento de baixa.

E aí, respondendo à sua pergunta, amo o que eu faço. A aviação sempre foi assim, um mundo instável. Já tivemos no Brasil várias companhias aéreas, como VARIG, VASP, TRANSBRASIL, RIO-SUL, NORDESTE, BRA e CRUZEIRO. Hoje não existe nenhuma destas. Para o internauta que me perguntar “e a VARIG?”, eu digo que só o nome foi comprado pela GOL. A marca hoje não existe mais, só a razão social, o nome jurídico da empresa. Hoje não temos mais nenhuma dessas companhias.

Sendo assim, começo a dizer o que venho falando nos meus posts: por que você quer ser piloto de avião? Glamour, auto afirmação, pensar que vai ficar rico, conhecer muitas cidades e países? Caro amigo, se a sua resposta foi uma dessas acima, sinto em dizer que conhecer cidades, na maioria das vezes, será apenas conhecer os aeroportos. A rotina de piloto de avião de companhia aérea é extremamente corrida, com voos a madrugada toda, e apresentações muito cedo. O máximo que dá para fazer quando se chega em um cidade nova é comer alguma coisa, e dar uma volta para relaxar. E o preço disso é não ter final de semana, feriado prolongado, Natal, Ano Novo, churrasco com os amigos, não estar com a família – só nas folgas, que são oito por mês na maioria das empresas.

Agora, se a sua resposta for amor à profissão, digo que continue no caminho. Mas lembre-se que essa é uma profissão onde você tem que estudar muito, e sempre estar atualizado.

Para evitar as variações do mercado da aviação, faça reservas financeiras. Saiba que teremos variações, companhias aéreas abrindo e fechando, principalmente no Brasil. Se você quer segurança, pense seriamente em ir para fora do Brasil. Enquanto hoje só temos duas empresas contratando pilotos em ritmo lento, AZUL e AVIANCA, as empresas do Oriente Médio (QATAR, EMIRATES, ETHIAD, AIR DUBAI) estão em forte expansão e precisando de mão de obra, exatamente o oposto do Brasil.

Se me falassem para fazer outra coisa, não iria fazer. Quem me conhece sabe que sou um profissional que vive sorrindo e feliz. Não quero ser o tipo de pessoa que é feliz porque é sexta-feira, e fica triste no domingo à noite. No meu ponto de vista esse é um profissional frustado, e qualquer profissão que não seja a minha atual vai me fazer isso.

Piloto de avião, médico, padre, são vocações. Profissões que exigem uma disponibilidade muito grande. É diferente de ser advogado, dentista, administrador de empresas, profissional de TI, onde muitos trabalham de segunda a sexta, das 08:00 às 17:00, com uma hora de almoço. Ou você gosta daquilo e da rotina que você terá, ou está no mundo errado.

Com relação à faculdade de Engenharia Aeroespacial ou Engenharia Aeronáutica, é um mundo um pouco diferente de ser piloto de avião. Acho que seria outro caminho, o da criação e projeto de aeronaves, diferente de ser piloto de avião. Esse é o meu ponto de vista.

Se você realmente quer ser piloto de avião, sugiro que, se você tiver condições financeiras, faça a faculdade de Ciências Aeronáuticas ou Aviação Civil, e paralelamente, faça o PP e após o PC. E não se esqueça do inglês, que hoje é tão importante quanto as horas de voo.

Abraços,

Rodrigo Satoshi

INVA – Instrutor de Voo de Avião

O leitor de hoje enviou sua dúvida através do nosso e-mail. Você pode fazer o mesmo, caso não encontre a resposta nas perguntas já respondidas.

Rodrigo Satoshi
Redes

Rodrigo Satoshi

Instrutor de Voo de Avião e professor de curso teórico para Pilotos Privados e Pilotos Comerciais.
Rodrigo Satoshi
Redes
  • Victor Hugo

    tenho piloto privado as horas de voo que voei por conta propria tmb somam para piloto comercial?