Por que ser piloto de avião?

posted in: Artigos, Artigos Técnicos | 10

Corporate Pilot Using Electronic Tablet

Trabalho como instrutor de voo há 4 anos e vejo muitas pessoas que começam o curso de piloto e acabam desistindo. Outras escolhem outra profissão, e há ainda aqueles que conseguem o tão sonhado emprego em uma grande empresa aérea. No entanto, com o passar do tempo se tornam pilotos frustrados com a profissão, reclamando da escala, da solidão e de outras coisas.

No meu ponto de vista, como já escrevi em outros posts, a decisão pela profissão de piloto de avião tem que ser uma vocação. Essa é uma vida que acaba exigindo muita dedicação aos estudos, força de vontade, perseverança e cuidados com a saúde.

Obter uma carteira de PCA-MLTE/IFR e ICAO 4 não é o que requer maior dedicação aos estudos. Acredito que as etapas que precisam de maior dedicação aos estudos são a prova teórica da ANAC, do PCA e PPA, e também durante o simulador IFR. Nessa fase, treinar em simuladores em casa (Flight Simulator ou X-Plane) ajuda muito o desenvolvimento do aluno. Nas demais fases, voo mental, estudo de quick-references e planejamento das navegações são o suficiente. Sendo assim, tenho essa opinião de que esta é uma profissão onde é a formação é relativamente rápida e fácil – diferente de outras profissões como médico ou advogado, onde somente a faculdade tem duração de 5 anos. Para o médico, ainda, são necessárias a residência e a especialização.

Essa aparente facilidade em se tornar piloto de avião e o glamour de andar com o uniforme e o quepe, além de puxar a tradicional mala com rodinhas nos aeroportos, gera em muitas pessoas esse sentimento de glamour da profissão. Outros imaginam que vão conhecer muitas cidades do mundo, e que sempre estarão com aquela sensação de turista. Às vezes, o piloto que trabalha na maioria das companhias aéreas pousa em cidades do nordeste brasileiro, ou em outros países, cansado por ter voado a noite toda ou o dia todo, chegando naquele destino paradisíaco no começo da manhã, ou então por volta das 22 horas, sabendo que uma nova jornada de voo terá início dali a 12 horas. Portanto, o máximo que será possível é tomar um banho e dormir, pois quem se apresenta para um voo as 04:30 da manhã, provavelmente começou a se arrumar à 01:00, e tentou ir dormir às 19:00 do dia anterior. Depois de alguns dias dormindo pouco à noite, seguindo essa rotina, e mesmo sabendo que o dia de trabalho vai acabar ao meio dia na cidade de destino, vem aquela afirmação: “Não aguento mais essa escala!”

Uma certeza para essa profissão é a rotina: os mesmos destinos, os mesmos hotéis… Depois de alguns anos na mesma empresa, ou alguns meses na aviação executiva, você com certeza vai conhecer todas as cidades, hotéis e pontos turísticos. Nesse momento, surgem aquelas perguntas: Vou de novo para aquele lugar? Naquela cidade não tem nada para fazer, como vou passar o tempo?

Outro ponto que leva muitas pessoas a decidirem ser piloto de avião é o salário que, em alguns casos, é realmente alto. No entanto, depois de um tempo trabalhando na área, você certamente vai mudar de ideia. Para ter esse salário que hoje gira em torno de R$ 7.000,00, é necessário gastar mais de R$ 100.000,00 para tirar todas as carteiras, além de provas periódicas da ICAO. Cada prova tem, atualmente, um valor mínimo de R$ 1.000,00. Então, será que piloto de avião ganha bem? E hoje, com R$ 7.000,00, é possível ter uma vida de luxo?

O contraponto é que, ainda que tudo isso pareça um mundo de maravilhas, temos muitos pilotos insatisfeitos com a profissão, ou deprimidos com a vida solitária, longe da família e dos filhos. Tudo isso porque, no meu ponto de vista, não foi feita uma escolha com o coração. Para ser piloto de avião, é preciso ter vocação, e buscar a realização profissional. Essa é uma vida de muitas privações, mas também de muitos prazeres, como fazer um excelente pouso em uma aeronave maior, ver as cidades lá de cima, apreciar a lua, as estrelas, o pôr-do-sol e o nascer-do-sol. Tenho certeza de que esses sentimentos são o que devem predominar na escolha da profissão – não o glamour, o dinheiro, mas sim o sentimento de realização profissional.

Predominando esse sentimento, tenho certeza de que o verdadeiro aviador vai voar por amor, mesmo que seja um simples C-152, ou até mesmo gigantes como o Airbus A380 e o Boeing 787. Para aquele que realmente é feliz voando, cada voo é como se fosse o primeiro naquele avião, e o sorriso será o mesmo de quem foi recentemente promovido para aquele maravilhoso equipamento.

Rodrigo Satoshi
Redes

Rodrigo Satoshi

Instrutor de Voo de Avião e professor de curso teórico para Pilotos Privados e Pilotos Comerciais.
Rodrigo Satoshi
Redes
  • Rafael Prioli

    Parabéns Satoshi.. excelente texto!

  • Leandro Willian Oliveira

    Parabens pelo texto !!!

  • Marcelo Hendel Pereira

    Falou tudo Satoshi, VOCAÇÂO essa é a palavra, quem tem vocação supera tudo isso agora quem não tem vai sempre sofrer com os menores contratempos. Abraço Japa.

  • Pedro Rittmeyer

    Muito bom!

  • Enderson Rafael

    E abrir o leque, buscando o que mais se adequa ao seu ideal de vida, pois existem muitas aviações. Inclusive dentro da linha aérea.

    • Alexander Van Parys

      Taí um bom tópico para um próximo texto, Enderson ;)

      • Enderson Rafael

        Estou juntando os elementos pra escrever sobre isso mais pra frente ;-)

  • Alexander Van Parys

    Excelente texto. Importantíssima essa visão do todo, que olha os “prós” e os “contras” da profissão. Tudo na vida é assim. E no final, o determinante vai ser além da vocação, como bem mencionado pelo Satoshi, a disposição em lidar com os “contras”.

  • Sidney Luz

    Texto muito interessante. Somente não entendi o que disseste com a comparação profissional, afinal nenhuma profissão é “estanque”. Contudo, pensar que decisões na mente de algumas pessoas não seja o que você descreveu – e cito- : “mas também de muitos prazeres, como fazer um excelente pouso em uma
    aeronave maior, ver as cidades lá de cima, apreciar a lua, as estrelas, o
    pôr-do-sol e o nascer-do-sol”, por que é realmente isso mesmo. Se é uma profissão vai ter inconveniente com certeza. Mas, se foi o que você realmente escolheu para viver, te fará feliz. Só desejo que hajam sempre profissionais competentes para realizar esta nobre e maravilhosa atividade. Obrigado por seu texto Rodrigo.

  • Rodrigo Yoshimura

    Muito bom texto! Resume a diferença entre pilotos e aviadores.
    Permita-me fazer uma correção no que diz respeito à aviação comercial. Dificilmente você vai encontrar um piloto na comercial que não esteja realizado profissionalmente ou que não goste de voar. Reclamações são normais pois muitas variáveis afetam o nosso dia a dia. Mas isso não quer dizer que estamos insatisfeitos com a rotina, com a empresa ou com o salário.
    Mais do que um pouso bonito em um equipamento wide é satisfação de levar seus pax de A para B com segurança acima de tudo.
    Grande abraço